Ver miolo
 
Dom Mínimo, o Anão Enorme e Outras Histórias
Luísa Costa Gomes (texto), Afonso Cruz (ilustração), Texto (editora)

Mínimo era filho de duas pessoas muito pequeninas que, na esperança de que ele crescesse, o batizaram como Grande (Grande Mínimo era, portanto, o seu nome). E Mínimo de facto cresceu, mas, tal como os pais, não deixava de ser anão – o maior anão da sua pequena aldeia. Já em adulto ganhou grande importância na terra, que o elegeu como seu representante na Assembleia Municipal, e passou então a ser conhecido como Dom Mínimo, o Anão Enorme. Dom Mínimo e outras personagens muito cheias adjetivos aguardam a tua visita nestas curtas e delirantes histórias.